quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Faço e aconteço enquanto posso

@ Distraída, deixei o foda-se ligado e assim foi ficando. Faz tempo que não paro pra pensar no significado de chutar o balde e mandar tudo à puta que o pariu. Mas não é tão grave é assim, vá lá, tenho método. A idéia é morrer aos poucos, o que não chega a ser uma novidade, pois acontece com todo mundo. Todos morrem aos poucos. O meu caso é diferente porque sei disso e, sabendo, faço e aconteço enquanto posso (meio rimado isso, mas vou deixar).

@ Com o tempo e milhões de doses de vodka, descubro que o sentimento de culpa foi embora. Não sou exceção. Ando por ai e encontro algumas mulheres da minha idade que estão deixando de lado o futuro em troca das merrecas emocionais de hoje à noite. Pouca gente faz alarde desse, digamos, estilo de vida. Eu faço. Mas chega de reflexão. Cansa.

@ O certo é que dinheiro acabou. Num mundo em que as sensações têm preço, é uma desgraça. Amigos pra pedir grana emprestada, nenhum. Banco, Serasa. Emprego, fui. Status no agiota: pendurada. Solução: meus pais. Voltei pra casa paterna aos trinta e tantos anos e o pior de tudo é que não me sinto fracassada. Trato com umas férias. Quarto e computador de graça contam mais pontos que decepção familiar. Eles, pai e mãe, até procuram disfarçar o clima de fracasso. Menos mal.

@ O principal é que não incomodo. Quase não saio do quarto e quando saio é direto pra rua. Às vezes minha mãe aparece. Conversa por alto e, no máximo, dá informações sobre um concurso pra auditor fiscal em Rondônia. Não me animo. Com banda larga, tanto faz Rondônia ou Leblon. O problema é virar funcionária pública, que é uma espécie de morte em vida. Além disso, gostei deste quarto.

@ Feliz no novo lar? Não. Também não era no outro. Pelo menos aqui não pago. A linha é boa, não cai. Sigo escrevendo verdades e mentiras. Como diz meu amigo Jaron Lantier, sou caricata na rede. Escolhi apenas uma parte de mim para expor publicamente. As outras são bem piores.

_@lulafalcao

2 comentários:

rodrigocoimbra disse...

/muito bom seu texto. gostei mto. bjos

Lula Falcão disse...

Valeu, Rodrigo, obrigado. Conto com você por aqui.

Postar um comentário