sexta-feira, 16 de abril de 2010

Corporativês

Ao ingressar no fabuloso mundo corporativo, o primeiro passo é aprender mais uma língua. Não é propriamente o inglês. É o corporativês - idioma composto por palavras estrangeiras, siglas, verbos que não existem nos dicionários e clichês como “agregar valor”, “impactar nos negócios” ou “otimizar” qualquer coisa. Nesse ambiente, você precisa ser proativo, saber fazer um “approach” (abordagem) e um “Business Plan” (plano de negócios) , além de entender o “Core business” (negócio principal da empresa). Em caso de dúvida, procure uma Coaching (sessão de aconselhamento) “as soon as possible” (o quanto antes). Só assim, você terá um “Consumer understanding” (conhecimento profundo do cliente) e ganhará um elogio do “CKO - chief knowledge officer” (o gestor do capital intelectual da companhia).

Se você entender o “briefing” (informações necessárias para uma ação) e estiver em “sinergia” com seus “parteners”, talvez consiga um “Breakthrough” (avanço em determinada área) e, no futuro, crie um “case” (caso de estudo da empresa) ou, pensando mais alto, chegue ao cargo de “CEO” que, no dialeto das empresas, significa “chief executive officer”.

Agora, se o “clima organizacional” não estiver legal, o “budget” (orçamento) for ruim, o “Break even point” (a explicação é longa; vá ao Google) não rolar e o “Business Unit” (unidade de negócios) der para trás, você será chamado pelo “CHRO - chief human resources officer”, que se encarregará da “descontinuidade” de seu contrato de trabalho, ou seja, da sua demissão. Nesse caso, você pode fazer um “Counseling” (aconselhamento de carreira) e decidir que seu negócio é mesmo um concurso público para fiscal do IBAMA.

_lulafalcão

5 comentários:

Bruna Sion Pardal disse...

AMEI.
Como a gente vai pra fugir deste mundo, mudar pra uma praia longe, só cuidar de projetos culturais e ser bem feliz?
Bruna

adriana disse...

Nossa, realmente muito bom Falcão. Sinceramente não imaginava que o mundo dos negocios estavam assim(exigentes cada vez mais e mais).
Mas, só para reforçar a pergunta da colega acima: como fugir desse mundo?! Sugestão?!
Um forte abraço.
Adriana.

juliana disse...

muito bom ... sem contar que todo esse “Business Plan” é feito enquanto voce caminha pelas ruas digitando no seu blackberry ou Iphone...

Lula Falcão disse...

Queridas: como fugir deste mundo? Ir para uma praia deserta? Pode ser. Só não esqueça o laptop, o blackberry ou o Iphone. Entre um mergulho e outro, redija seu “Business Plan”.

Moreda disse...

Que se fodam os executivos almofadinhas paulistas funcionários de multinacionais e os jovens da área de comunicação e marketing, principalmente as mulheres. São eles os principais responsáveis pelas disseminação desse dialeto paulitainglês falado em São Paulo. E tem mais, se não estudamos o tal dialeto, ficamos out of the game!

Postar um comentário